Domingo, 27 de Junho de 2004

A minha namorada - telefonei-lhe

Era inevitável, tive realmente de telefonar, foi mais forte que eu, finalmente lembrei-me do número do telemóvel, eu no fundo sabia o número só não me lembrava qual era a rede, e assim lá lhe liguei. Confesso que estava um pouco nervoso e suava que nem uma salsicha fresca no grelhador.


- Olá... sou eu.


- Ah, és tu… tudo bem contigo minha ameba gigante?


- Mais ou menos… e contigo? Espera, antes de continuares e sei que queres falar muito comigo não te importas de me telefonar... é que estou a ficar sem saldo.


- És sempre a mesma coisa, desliga lá que eu já te telefono... irra.


 Estes momentos de angustia enquanto espero que ela me telefone de volta deixando-me em dúvida. Será que o vai fazer? Por momentos espero que não pois o meu coração já salta mais rápido que o preço da gasolina. Mas faço um exercício de meditação para me acalmar que consiste em rodopiar a cabeça até ficar tonto e cair desamparado no chão. Lá me recomponho.


 Mas o telefone toca… atendo, sem dar tempo canto com uma afinação impecável, lembrando a mim próprio que não fico nada a dever a qualquer desses convidados dos programas da manhã da televisão. “ I just call to say i love youuuuuuu, I just call...”


- Que linda voz... por acaso não sabes aquela do Paulo Gonzo “Jardins de Pedra” é que tenho um fetechezinho por cemitérios e pela Ilha da Páscoa...


- Quem fala?


- Desculpe, já estava tão envolvida que me esqueci... é do banco para lhe dizer que a sua conta está a negativo e é preciso por algum dinheirinho, percebe? Mas que linda voz que tem, não quer cantar mais um pouco, é que trabalhar nas cobranças é tão aborrecido...


- E tem alguma preferência?


- Pode ser qualquer uma do José Malhoa...


- E a frase qual é?


- “Se és chato e gostas destas andanças o teu futuro é o departamento de cobranças”


- Está certo. Já agora a única que eu sei tem a pequena Ana Malhoa na voz feminina. Tu cantas a parte dela e eu a dele.


E assim fizemos um dueto com um esplendor de fazer inveja a muita gente, toda a gente riu e dançou e o departamento de cobranças tornou-se num local muito mais feliz e todos ficaram mais gordos e bem dispostos, acompanhando-nos em coro a uma só voz.


- Canta mais uma, vá lá...


- Desculpa mas não posso, estou à espera de um telefonema importantíssimo e já demorei muito tempo, apesar de ter sido divertido... não foi?


- E não é que foi mesmo... agora só a questão do dinheirinho.


- Bom... se me telefonares daqui a meia hora eu canto-te mais uma cançãozita, falamos do dinheiro e quem sabe... combinamos qualquer coisa.


- Pode ser... tocas-me a Appassionata de Mozart?


- Mas isso é só piano.


- Fazes só com o som das teclas... deixa-me completamente extasiada e com vontade de soltar o cabelo e fazer loucuras...


- Aaaaaaa, bem... se te deixa nesse estado deixa que te diga que consigo tocar uma sinfonia completa só com o polegar.


(continua)

publicado por gifted_children às 02:23
link do post | favorito
De Anónimo a 27 de Junho de 2004 às 15:57
ho my friend
quem me dera que um "berg" me telefonasse enganado para a sua Inga....juro-te que punha as minhas tranças louras e os meus totós azuis....ai que bem me ficam o azul e amarelo..
tou triste acredita
o laranja não vai bem com a minha pele...tv lá p o fim do verão...
mas azul e amarelo...caia-me que nem ginjas...
bye bye my suedes
;p
eles eram tão lindos
ficavam tão bem no meio do vermelho do benfica e do verde da esperança...ai ai
desejo q p a px te saia uma holandesa de tamancos e com papoilas nas orelhas***

seven
</a>
(mailto:seven@hotmail.com)


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres