Terça-feira, 13 de Julho de 2004

A minha namorada - tem noites...

Ah... como é bom um novo amor, tudo é novo, não há discussões, começar do zero e ainda por cima teve a gentileza de cobrir a minha dívida no banco e carregou-me o telemóvel, que mais um homem pode sonhar? Quer dizer às vezes sonho que sou uma mosca mas acabo sempre esborrachado contra o vidro por um jornal, logo esse sonho não conta. Sem ser aquela mania que tem de cronometrar os beijos eu diria que estaria tudo na perfeição.


Descobrimos montes de coisas em comum, como o facto de ambos gostarmos de avestruzes e comer melancia sem casca, acho que é um óbvio sinal que nascemos um para o outro.


Claro que esta coisa de ajudar os outros tem muito que se lhe diga, tenho saído à noite com um monte de gente com grande alma e bondade a distribuir alimentos por entre os sem-abrigo, há sempre uma ou outra situação que me fazem descrer da minha capacidade de ser altruísta, mas é um facto que estar a olhar para aquelas pessoas que esperam por nós para lhe trazermos a refeição é realmente gratificante.


- Tome, aqui está a sua sopa quente e uma sandes.


- Não tem por acaso umas costelas de novilho e para acompanhar um Château Pétrus.


- Hum… penso que não, mas temos aqui uns ovos escalfados e um pacote de leite magro.


- Se é só isso que tem venha lá essa coisa, espero que não me faça mal ao estômago. Já agora que nº calça?


- 44… porquê?


- Gosto dos teus sapatos.


- Ok… são giros mesmo, tome lá esta porcaria e…


- Quero os teus sapatos.


- Deve estar a brincar, os meus Miguel Vieira?!


- Dá-mos já.


- A que propósito lhe daria os meus sapatos…


- Não tenho casa para morar, o meu melhor amigo é um pombo, apesar de achar que ele fala comigo por interesse para eu lhe servir de casa-de-banho. Sou pobre, estou esfomeado e além disso estou descalço.


- E??!!


- Onde raio está essa generosidade? Só peço a porcaria de uns sapatos e até parece que estou a pedir a roupa interior.


- Já que fala nisso não quer antes a minha roupa interior, aposto que lhe deve dar mais jeito, não tarda está aí o Inverno e depois pode-lhe fazer falta.


- E eu lá era capaz de vestir roupa interior de outra pessoa, passa para cá os sapatinhos.


- Eu andei nos escuteiros, se quiser ensino-lhe a fazer uns chinelos com cordas e papelão… estes sapatos são muito quentes e vai ter calor de certeza, vai suar, depois apanha fungos e quando der por si tem uma infecção gigantesca e crescem-lhe borbulhas na testa.


Neste momento olhei para a minha nova namorada procurando compreensão e que ela de alguma maneira pusesse cobro a esta história de uma vez por todas, não ía dar os meus sapatos a ninguém. Senti o olhar reprovador de todos os idiotas dos amigos dela para comigo e um deles começou a balbuciar umas palavras que pensava que os meus queridos ouvidos nunca iriam ouvir.


- Vá lá dá-lhe os sapatos.


- Porque é que não dás os teus?


- Porque ele quer é os teus, se quisesse os meus eu dava-lhe, mas calço o 36 e não lhe deve dar jeito andar de tacão de agulha.


- Tens uns sapatos de tacão de agulha?!!


- Sim, a seguir tenho um espectáculo e assim aproveito e vou já meio despachado.


- Está bem, mesmo assim acho que devia ser aquele parvo que está ali escondido atrás do retrovisor a dar-lhe os sapatos.


- Ei, caso ainda não tenhas reparado estou descalço.


- E o que é isso que tens nas orelhas?


- São os meus protectores de ruído.


- Nike??!?!!


- Pois…pronto, tu aí dá-me cá os teus sapatos que está aqui um senhor que precisa de calçado.


O pobre do rapaz começa a descalçar-se lentamente que quase me fez pena ter-lhe gritado para ele tirar os sapatos. De repente agarra nos sapatos e desata a correr Av. da Liberdade fora com os sapatos na mão a gritar “Viva o Rei, Viva o Rei…”. Neste momento a minha querida nova namorada veio ao pé de mim. Senti que finalmente tinha alguém do meu lado para me proteger, beijou-me na face (2 segundos) e virando-se para todos disse: “Vamos, todos juntos conseguimos tirar-lhe os sapatos!”

publicado por gifted_children às 23:44
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De Anónimo a 20 de Julho de 2004 às 23:55
oix,este artigo é mt fixe tal como o outro,continua axim.
bjs,fica bem.optimistic_girl
(http://meupequenomundo.blogs.sapo.pt)
(mailto:optimistic_girl@sapo.pt)


De Anónimo a 20 de Julho de 2004 às 23:43
olá só agora descobri este blog e por alguns textos que tive a ler , é muito interesse , real e ao mesmo tempo divertido.Nas relações primeiro é tudo novo , tudo muito bom dps esfria mas fica o amor ,o companheirismo , o respeito e é tão bom ou ainda mais do que o inicio duma relação.

continuem com os teus textos , vou estar atenta

http://lindareis.blogs.sapo.pt

http://diariopessoal.blogs.sapo.ptCarolina
</a>
(mailto:tialinda@sapo.pt)


De Anónimo a 14 de Julho de 2004 às 20:16
woww.... adorei a escrita! TeCa
</a>
(mailto:teca@sapo.pt)


De Anónimo a 14 de Julho de 2004 às 10:56
Que cena esquisita... essa tipa tinha de ter um pequeno problema qualquer! Sera que tambem ajudou-te pelo facto de achar-te um triste coitado?! ehehe! É amor ou outra vez altruismo?!rafapaim
</a>
(mailto:filosofiabarata@sapo.pt)


Comentar post