Sexta-feira, 28 de Janeiro de 2005

A minha namorada - eu

Nestes dias cada vez mais confusos resolvi que alguma coisa tinha de mudar, logo mudei a roupa interior e olhei-me ao espelho. Foi nessa altura que pensei que afinal aquilo porque tanto procurava estava mesmo ali à minha frente. Apaixonei-me por mim. Conversei comigo durante algum tempo e realmente vi que tínhamos muitas coisas em comum, ambos gostamos de sardinhas em lata e saltar freneticamente em cima do tabuleiro da ponte sobre o Tejo.


Resolvemos sair para nos conhecermos melhor e à medida que o tempo passava sentimos uma cumplicidade imensa que nos resolvemos beijar arrebatadoramente. Foi um momento especial, daqueles que nos dão um frio na barriga e fazem-nos pensar que a vida assim vale a pena. Fomos jantar fora a um restaurante muito romântico e o azar destas relações novas é que temos ser sempre nós a pagar a conta, apesar da insistência do outro eu para pagar pelo menos as sobremesas.


Na rua riamos muito alto e parávamos em cada canto para trocarmos beijos, fomos ao cinema, só que desta vez quem pagou foi o outro eu. Eu paguei as pipocas. Eu pessoalmente não gostei muito do filme pois tinha muito drama para o meu gosto, mas o outro eu gostou bastante e até chorou nas partes mais enternecedoras o que eu achei encantador.


Cada vez gostava mais do meu outro eu e só me magoou um pouco quando encontrei uma amiga ao qual apresentei o outro eu. Conversaram bastante e animadamente que confesso que senti alguns ciúmes quando ela convidou o meu outro eu para jantar arroz de pato e me ignorou completamente. Felizmente que o outro eu não esteve pelos ajustes e disse-lhe que só iria se eu fosse o que ela recusou terminantemente pois já me conhecia e não queria ter nada a ver comigo.


Fomos beber um copo a um bar e tive o meu primeiro desapontamento com o meu outro eu. Acho que bebia demasiado e começou aquelas conversas de bêbado de como iríamos amar-nos para sempre, claro que apesar de tudo não gosto de pessoas que bebem demasiado e fiquei um pouco desapontado com o meu outro eu por ele ser assim, mas um defeito também fica bem apesar de eu achar que o meu outro eu devia comer com talheres e não pôr a cara no prato. Mas quando se gosta estas coisas são secundárias.


Partilhamos o taxi à vinda para casa e convidei o meu outro eu para subir, o que este anuiu imediatamente. Comemos uns aperitivos enquanto nos sentávamos no chão a conversar alegremente e a partilhar segredos. Fiquei a saber que o meu outro eu gosta que lhe cocem as solas dos pés com uma escova de arame e beber por um copo vazio. Trocamos experiências e até fiquei com alguns ciúmes por ele me ter contado que tinha uma vida sexual muito mais activa que a minha.


O dia seguinte foi mais complicado, já que ambos acordamos ao mesmo tempo e o meu outro eu foi mais rápido em ir à casa de banho deixando-me furioso, já que só saiu duas horas depois gastando todo o meu champô e deixando as toalhas de banho espalhadas pelo chão. Foi de um extremo egoísmo fazendo o pequeno-almoço apenas para ele, não me deixando leite para comer com as ostras de conserva.


Discutimos imenso pela roupa que cada um devia levar, eu queria sair apenas com uma roupinha casual, mas ele insistiu tanto para levar smoking que não pude deixar de atender ao pedido, desde que pelo menos pudesse levar um gorro com orelhas e amendoins nos bolsos.


De manhã as coisas parecem-nos logo diferentes e comecei a sentir dúvidas se seria capaz de viver com o meu outro eu quando nem sequer concordamos no lugar que nos sentamos no comboio, já que o outro eu fez questão de se sentar à janela quando sabe que eu enjoo na coxia. Tivemos uma discussão acalorada e ele acabou por me empurrar e deixar na estação de Sete Rios quando eu queria ir para Entrecampos.


Foi nesse momento que decidi que não conseguia viver mais com o meu outro eu e despedi-me de mim e fui para os Correios sentar-me na balança das cartas que é dos poucos lugares em que me sinto confortável. Mais uma vez amargurado e triste embrulhei-me em papel e remeti-me para o Brasil.


Tristeza.

publicado por gifted_children às 21:08
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De Anónimo a 6 de Abril de 2005 às 10:26
Adorei o texto do eu....
Tb gostava de me embrulhar e enviar para um qq paraíso tropicalAlbatroz2
(http://100-stress.blogspot.com/)
(mailto:albatroz5@hotmail.com)


De Anónimo a 2 de Março de 2005 às 17:35
.
.
Para TODOS os Pu.tos dessa Zona.

Para EVITAREM SER BURLADOS como foi o DEPUTADO COMUNISTA Bruno Dias!!

Ver: “PROFESSORA E AUXILIAR ENVOLVIDAS EM BURLA GIGANTESCA” in http://www.correiodamanha.pt/noticia.asp?id=58796&idselect=21&idCanal=21&p=94

Nota: Em BRAGA até já foi descoberto UM dos SANTOS BURLÕES !!!!!

Só espero que o PAPA dos Católicos MELHORE para que possa DESCOBRIR outras DEZENAS DELES e muitas, muitas DEZENAS DELAS!! Em especial aqui no MINHO!

Ver: “Vaticano riscou S. Victor do livro”, http://www.correiodamanha.pt/noticia.asp?id=147814&idCanal=10


Aqui vai:
.
.
OFERTA PARA DIVULGAREM aos PUTOS nas ESCOLAS

Subsídios nas Escolas e/ou Bolsas de Estudo nas Universidades E NOS INSTITUTOS POLITÉCNICOS. Tanto Públicas como “PRIVADAS”!


MENSAGEM: Que TODOS se candidatem TODOS os anos. Mesmo que tenham A CERTEZA ABSOLUTA de que não têm direito a receber.

?! Porquê?! Porque os Pais podem MORRER de Acidente de Carro. Podem ficar DESEMPREGADOS. Etc, etc, etc, etc, ......... , etc.


In: Oh ALUNOS Portugueses III - SUBSÍDIO ESCOLAR e BOLSA DE ESTUDO,

http://eunaodesisto.blogs.sapo.pt/arquivo/2004_04.html#128423


IMP: O MELHOR AMIGO DAS FAMÍLIAS, e muitas vezes o ÚNICO, é o DIÁRIO DA REPÚBLICA. O resto – deuses incluídos - são tretas


AT: Só DIVULGAM nos DISTRITOS ONDE NÃO HÁ DICs da P.J. (Dep de Investigação Criminal): http://www.pj.pt/htm/dics/dep_inv_criminal.htm

Só 8, em 22, é que têm DIC´s?! Estranho. MUI ESTRANHO?!

E os do Litoral diziam que os do INTERIOR são Parolos! São, são! Os do Litoral são mas é 1 BANDO DE PALERMAS


Extra:

Para 25% dos Católicos:

OS da Igreja Católica, na Idade Média, já usavam o PRESERVATIVO.

http://eunaodesisto.blogs.sapo.pt/arquivo/2005_01.html#444232

e

"O AR que se respira nas IGREJAS atrofia o CÉREBRO DOS CATÓLICOS"
in
http://www.alertamedico.med.br/index.php?option=news&task=viewarticle&sid=711



Top Secret_1:

Lembrem-se que é próprio (é natural, faz parte da natureza) dos Jovens associarem-se em Grupos. Então …..

? Quem é que cometeu este CRIME CONTRA A HUMANIDADE em Portugal:

“Uma esmagadora maioria (86,4%) dos JOVENS não tem …..” http://jn.sapo.pt/2005/01/26/sociedade/maioria_jovens_fora_grupos_civicos_e.html


Top Secret_2:

As maiores ESCRAVAS SEXUAIS em Portugal são as PROFESSORAS DAS ESCOLAS. E esta. Hein!?

É bem feita! ES-TU-DA-SSEM em vez de ter (Explicações), em especial a Português e a MATEMÁTICA

NOTA: Não desanimem que OS MAIORES ESCRAVOS, Sexuais, são os PADRES da Igreja Católica e muitos EX-Seminaristas. Perguntem-lhes!

Uma Ajuda aos Padres. Mas só aos QUE VALEM A PENA. Ver: “Ateísmo.net” em http://www.ateismo.net/


Top Secret_3:

Tou farto (30 anos) de ver as FOTOS DOS POLÍTICOS.

Podiam pôr FOTOS de alguns que realmente mandam no País: Os DONOS das CONFRARIAS, das IRMANDADES e das SANTAS CASAS da Misericórdia?

Se não não voto.


ÚLTIMA HORA: Eu não acredito em nenhuns deuses. Mas gosto muito do SOLINHO.

ENERGIAS ALTERNATIVAS in http://www.soaresoliveira.br/projetoenergia.em/


José da Silva Maurício

Braga mas Lisboeta, 26.1.05

mauricio_102@sapo.pt




As maiores ESCRAVAS SEXUAIS em Portugal são as PROFESSORAS DAS ESCOLAS.
(http://eunaodesisto.blogs.sapo.pt)
(mailto:mauricio_102@sapo.pt)


De Anónimo a 17 de Fevereiro de 2005 às 11:47
Helloo?!????! Bjinhos***Formiguinha
(http://formiguinha.blogs.sapo.pt/)
(mailto:blog_formiguinha@sapo.pt)


De Anónimo a 8 de Fevereiro de 2005 às 23:18
Também falo do meu outro eu no meu blog... dia 3/2/05 ... gostei de te ler :)alma ébria
(http://almaebria.blogs.sapo.pt)
(mailto:almaebria@sapo.pt)


De Anónimo a 3 de Fevereiro de 2005 às 17:21
Tristeza... realmente foi o sentido... Uma solidão só... Vamos lá a reagir! Quero voltar a gargalhar! :)
BjinhosXana:)
</a>
(mailto:anihcm@yahoo.com)


De Anónimo a 3 de Fevereiro de 2005 às 15:04
Pois se nem já com o nosso outro eu se pode contar.....Tristeza mesmo.....Vá lá, coragem!Ouvi dizer que temos mais eus de reserva do que pensamos:)Beijinhoselisa
(http://silenciofala.blogspot.com)
(mailto:elisaantunes@iol.pt)


Comentar post